Itau_08022023

Itaú lucra mais de 30 bi em 2022

Resultado representa alta de 14,5% em relação a 2021

O Itaú Unibanco obteve Lucro Líquido Recorrente Gerencial – que exclui efeitos extraordinários – de R$ 30,786 bilhões em 2022, alta de 14,5% em relação ao resultado de 2021. Já no primeiro trimestre do ano, houve queda de 5,1% em relação ao trimestre anterior. No quarto trimestre de 2022, o resultado recorrente foi de R$ 7,668 bilhões, frente a R$ 8,079 bilhões no 3º trimestre.

De acordo com o relatório do banco, “no 4º trimestre de 2022, reconhecemos em nossas demonstrações financeiras os impactos provenientes de evento subsequente a data do fechamento relacionado a um caso específico de empresa de grande porte que entrou em recuperação judicial”. Muito provavelmente, o impacto refere-se ao caso das Lojas Americanas. Por conta disso, “houve reforço na Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa para cobrir 100% da exposição, gerando um impacto de R$ 719 milhões no resultado recorrente gerencial, com a diferença para a exposição total sendo reconhecida na provisão complementar. Excluindo-se esse efeito, o resultado recorrente gerencial teria atingido R$ 8,4 bilhões [no trimestre]”.

A receita com prestação de serviços e tarifas bancárias cresceu 7,8% em doze meses, totalizando R$ 46,631 bilhões. As despesas de pessoal, considerando a PLR, por sua vez, cresceram 12,9% no período, somando cerca de R$ 28,031 bilhões. Dessa forma, a cobertura destas despesas pelas receitas com prestação de serviços do banco foi de 166,4% no período

Ao final de 2022, a holding contava com 89.147 empregados no país, com abertura de 1.806 postos de trabalho em doze meses. De acordo com o relatório do banco, esse saldo se deve a ampliação no número de assessores de investimentos e a contratações para a área de TI, visando acelerar o processo de transformação digital. Foram fechadas 240 agências físicas no Brasil e abertas 179 agências digitais no período, totalizando 2.786 e 402 unidades, respectivamente.

“Não basta apenas o banco se adaptar ao novo modelo de sistema financeiro digital, investindo na expansão das agências, na abertura dos escritórios digitais e em novas contratações. É fundamental reconhecer e valorizar os trabalhadores, principais responsáveis pela obtenção dos lucros, por meio de uma remuneração mais justa, e de mais empregos, saúde e melhores condições de trabalho”, disse Reginaldo Breda, secretário geral da Federação dos Bancários dos Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul e representante na Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú.

Feeb SP/MS

Comments are closed.